Hierarquia da gestão de resíduos: qual deve ser a ordem de prioridade?

Gestão de resíduo é um assunto sério e um tema caro para a Oudiser. Por isso, hoje nós vamos falar sobre como a hierarquização da gestão de resíduos é importante e deve ser levada em conta por você.

Ah, essa hierarquização está definida no Art. 9° da Lei 12.305 de 2010, também conhecida como Política Nacional de Resíduos Sólidos – PNRS. Vale a pena conhecer e colocar em prática. Vamos lá?

Não geração de resíduos

Bom, foi noticiado recentemente de que, em 2019, o planeta Terra atingiu o ponto máximo de uso de recursos naturais que poderiam ser renovados sem ônus ao meio ambiente. A estimativa é da Global Footprint Network, organização que contabiliza o quanto de recurso natural é usado para as necessidades de um indivíduo ou população.

Isso é responsabilidade de todos nós, com certeza. Por isso, o primeiro tópico da hierarquia é a não geração de resíduos. Não é fácil, a gente sabe, mas com tecnologia e esforço, a gente pode caminhar contra a corrente que alimenta os aterros no mundo.

E se você está achando impossível, já existem casos de sucesso por aí! Por exemplo, foi inventada uma embalagem de xampu feita de sabão que vai se desfazendo de acordo com o consumo do produto. Também foi descoberto um plástico que pode ser reciclado infinitamente!

Além disso, sempre importante lembrar quando for jogar fora, que não existe “fora”.

Redução de resíduos

Bom, quando é necessário gerar resíduos, que seja pelos menos possível reduzir. Dessa forma, você reduz também os malefícios dos resíduos gerados.

Uma boa forma de implementar isso em casa é a partir da compostagem. Você já conhece a técnica? Bom, de forma resumida, trata-se de um processo natural em que os micro-organismos, como fungos e bactérias, são responsáveis pela degradação de matéria orgânica, transformando-a em húmus, um material muito rico em nutrientes e fértil.

Estamos preparando um artigo com todas as dicas para quem quer começar a compostar. Aguarde! 🙂

Reutilização

Agora é hora de usar a criatividade: de que forma você pode utilizar um produto mais de uma vez, independente de ser na mesma função ou não?

Aqui vale qualquer coisa para não eliminar, hein? Pote de conserva que vira recipiente para guardar tempero, latas que viram vasinho de plantas… As possibilidades são inúmeras, basta começar a olhar com atenção e perceber quais mudanças podem ser feitas para reaproveitar os resíduos em casa!

Você faz e tem alguma dica? Conta pra gente nos comentários!

Reciclagem

Uma velha conhecida, a reciclagem consiste no processo de separação e recuperação de materiais usados e descartados, que podem ser transformados novamente em matéria-prima e incorporados novamente no processo produtivo.

Um dos parceiros da Oudiser, a associação Corbélia, trabalha com um método que possibilita até a reciclagem do isopor, que depois é usado para fazer rodapé, moldura de quadros e afins.

Mas lembre: é legal limpar as embalagens antes de mandá-las para a reciclagem. Pense em quantos dias elas podem ficar em trânsito até chegar na pessoa que vai fazer a triagem.

 

 

Tratamento dos resíduos sólidos

Sendo a quinta prioridade no gerenciamento de resíduos, o tratamento utiliza tecnologias apropriadas para neutralizar a periculosidade do resíduo, possibilitando muitas vezes a reutilização e reciclagem.

O problema é: segundo o Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil – 2016, quase 60% dos municípios brasileiros destinam seus resíduos sólidos para locais inadequados. Consta ainda no panorama que 76,5 milhões de pessoas sofrem as consequências da falta de tratamento adequado desse lixo.

Disposição final ambientalmente adequada dos rejeitos

A sexta e última ordem na hierarquia da gestão de resíduos deve ser empregada quando o resíduo não for capaz de passar por nenhum caminho ou tratamento anterior. Ao dispor de um resíduo nessa condição, é preciso ter o máximo cuidado para que não polua ou altere o meio ambiente.

Para isso, o indicado é direcioná-lo para aterros sanitários, que são hoje a principal forma de disposição final adequada existente.

A Oudiser Brasil trabalha com o conceito lixo zero. Isso significa que a gente não vê os resíduo como lixo, mas como recurso. Dessa forma, é possível pensar sempre como transformar em matéria-prima para outras utilizações.

Por isso, se você quer melhorar o jeito como o resíduo é gerido no seu condomínio, nós podemos te ajudar! Vamos conversar?

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Receba novidades e dicas ambientais no seu e-mail!