Julho sem plástico: Conhecer o que é o ciclo de vida de um produto para fazer escolhas mais sustentáveis.

Quando compramos um produto na prateleira de uma loja, dificilmente paramos pra pensar como aquele produto foi parar ali, não é mesmo. Cada produto que compramos ou ganhamos tem um longo percurso percorrido antes de chegar até nós e também um longo percurso a percorrer após ser descartado. Qualquer produto que vem até nós consome muitos litros de água, matérias-primas, combustível, e energia. Ao pensar no início de um produto, devemos lembrar que ele foi retirado da natureza, seja do campo, do subsolo, das minas, das águas ou matas. Mesmo produtos gerados em laboratórios terão componentes retirados da natureza. E para analisarmos todo este processo de retirada, produção, distribuição e destinação final dos produtos, há uma ferramenta didática usada principalmente para indústrias chamada “análise do ciclo de vida do produto”.

 
Analisar o ciclo de vida de um produto requer atenção e pesquisa. Segundo a Norma ISO 14.001 (ferramenta utilizada para auxiliar no Sistema de Gestão Ambiental de empresas e indústrias), ciclo de vida é definido como “estágios consecutivos e interligados de um sistema de produto (ou serviço), desde aquisição ou geração de matérias-primas a partir de recursos naturais até a eliminação final”. E por que isso é importante para o nosso dia-a-dia? Porque são as nossas escolhas que determinam o sucesso ou fracasso de um produto no mercado. O poder de optar por produtos que gerem menos desperdício de energia e que sejam mais sustentáveis está totalmente nas nossas mãos. Dizer que o mercado é que determina nossas escolhas é equivocado, pois produtos parados nas prateleiras, param de ser produzidos.

Ao considerar como o seu produto ou serviço é usado, você identifica os aspectos ambientais do seu produto e o que fazer com eles. A escolha do consumidor tem grande influência na forma como as empresas identificam seus impactos e aspectos ambientais e assim faz com que as empresas implementem estratégias de planejamento e controles operacionais mais corretos e sustentáveis ambientalmente. Quando você compra um produto, você já se fez perguntas como: quanta água foi gasta para este produto estar aqui? Ou, ao final do uso, existe alguma maneira de reciclar este produto? Mesmo que haja, você poderia reciclar melhor o produto ou reutilizá-lo? Você tem absoluta certeza de que esse produto em suas mãos será mesmo destinado corretamente e reciclado? Como você tem certeza que ele não irá se depositar no mar ou entupir um bueiro da sua rua?



O primeiro passo que precisamos dar é em direção as nossas escolhas. Ao escolher sua escova de dentes, o que você leva em consideração? Já parou para pensar no que realmente é preciso para fazer a sua higiene bucal? As escovas de dentes usadas pelos seus avós estão até hoje depositados em algum lugar do planeta, seja no mar, no solo, num aterro sanitário, mas com certeza ela está por aí. Agora imagine que todas as escovas de dente que você usou até hoje, você pode encontrá-las na beira de um rio, ou tomando um banho de mar. Talvez no aterro ou lixão. Agora perceba que esta é a realidade de praticamente todos os plásticos que você já utilizou na vida. Fraldas, agulhas, embalagens, brinquedos, equipamentos, etc. O tempo de decomposição de plástico é em média 400 anos. Somente 1% de todo resíduo gerado é realmente reciclado no mundo. O tipo de plástico também deve ser levado em consideração, pois depende do tipo ou uso dado a ele, ele não será reciclado por nenhuma empresa. Uma das alternativas encontradas por vários países e cidades é a combustão destes produtos, ou seja, eles são usados como matéria-prima para fornos de altíssimas temperaturas. Muitos estudos comprovam que a queima descontrolada de resíduos plásticos liberam dioxinas e furanos no meio ambiente e estes componentes são causadores de diversas doenças, como por exemplo câncer e doenças respiratórias. Mesmo que essa alternativa chegue numa combustão perfeita, imagine a quantidade de chaminés necessárias para conseguirmos eliminar todos os resíduos produzidos atualmente.


O nosso papel neste cenário está na prática dos 5 R’s – Repensar, recusar, reduzir, reutilizar, reciclar. O primeiro item é repensar. Faça perguntas como: Este produto plástico, poderia ser feito de um material mais resistente e durável ou de material mais facilmente reciclável? Poderia ser feito de material reutilizável em ver de reciclável? Ao empacotar seu produto, que material está usando? Ao embalar grandes produtos, poderia diminuir seu tamanho ou alterar o material para algo que não usa recurso natural não-renovável? Em serviços de entrega, você já considerou os materiais de embalagem e como eles impactam o meio ambiente? Poderia considerar material biodegradável ou reutilizável ao invés de plástico?

Você já considerou o impacto que suas escolhas causam no mundo?
 
O mundo que queremos é o mundo que fazemos. Colhemos os frutos que plantamos ou plantaram antes de nós, mas nós podemos escolher sementes melhores para deixarmos e compartilharmos no mundo. Suas escolhas, por menores que sejam, importam! Faça escolhas conscientes e deixe um legado de sustentabilidade para a atual e futura geração!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Receba novidades e dicas ambientais no seu e-mail!